Skip to Content

Cras Betinha ganha nova biblioteca do ‘Projeto Primavera

Seja o Primeiro!
por agosto 1, 2019 Diretoria, USL

‘Projeto Primavera’, fundado por Vera Quagliato, implantou a quinta
biblioteca em S. Cruz, que leva o nome da professora Marci Brondi.
Sérgio Fleury Moraes
Da Reportagem Local
O Cras (Centro de Referência da Assistência Social) “Betinha”, no bairro de São José, ganhou uma moderna biblioteca na tarde de sexta-feira, 26. Foi a 23ª implantada pelo “Projeto Primavera”, fundado por Vera Quagliato e que “semeia” bibliotecas em todo o País. No “Cras Betinha”, é praticamente a quinta unidade do projeto em Santa Cruz do Rio Pardo, já que Vera implantou bibliotecas na Santa Casa, no asilo e na escola “Genésio Boamorte”, além de repaginar a “Hélio Castanho”, biblioteca da escola “Leônidas do Amaral Vieira”.
O evento, que foi acompanhado pela comunidade que frequenta o “Cras Betinha” — responsável, entre outros projetos, pelo “Fala Vila” —, teve apresentação da Orquestra Santa Cruz e números de capoeira da Acogelc, coordenados pelo instrutor Lucas Santana. Também houve entrega de brindes.
SURPRESA – Marci chora ao saber que a biblioteca foi batizada com seu nome
A professora Marci do Valle Brondi deu nome à nova biblioteca
ACERVO — A biblioteca “Marci Brondi” tem acervo doado pela professora

Antes da inauguração, houve momentos emocionantes. O primeiro foi quando o instrutor da Acogelc tirou da plateia a empresária Marly Quagliato, mãe de Vera, para jogar capoeira. Marly não se intimidou, entrou na roda e, inclusive, deu alguns passos.
No entanto, a maior emoção ficou para a professora Marci do Valle Brondi, responsável pela doação de aproximadamente 600 livros à nova biblioteca. No acervo, estão obras da literatura clássica, enciclopédias e autores brasileiros. Ela estava presente na cerimônia, quando a jornalista Flávia Manfrin, que também participou do projeto da biblioteca, lembrou o gesto solidário da professora. “Eu doei dois livros e foi difícil abrir mão destas obras que ganhei de empresas. Mas imagine a Marci, que doou esta grande quantidade”, contou Flávia, antes de anunciar, de surpresa, que a nova biblioteca receberia o nome da professora. Marci Brondi não conteve a emoção e foi às lágrimas.
A professora contou que possuía uma biblioteca com um acervo razoável, mas ficou incomodada com o fato dos livros ficarem parados nas estantes. “Eu procurei a Flávia, que entrou em contato com a Vera. Juntei centenas de livros e comecei a trazer para o Cras”, contou. Marci não sabia que iria batizar a biblioteca com seu nome e confessou que foi uma das maiores emoções em sua vida. No fim, disse que está orgulhosa em saber que sua doação reforçou o acervo da nova biblioteca. “Quando eu quiser reler algum livro, é só visitar o Cras”, brincou.

Da direita para a esquerda, Vera Quagliato, o empresário Wellington Rheder e a secretária Eliane Botelho

Transformação

ENCANTO — Crianças da comunidade se surpreendem com o acervo

Vera Quagliato, fundadora do “Projeto Primavera”, também se esforçou para segurar a emoção. Afinal, foi a 23ª biblioteca implantada pelo programa em todo o País, cinco das quais estão em Santa Cruz do Rio Pardo. “Na verdade, a criação da biblioteca do Cras foi uma ideia da Flávia Manfrin, que percebeu esta necessidade”, contou. Flávia participa, aos domingos, do “café da manhã” distribuído às crianças da vila Divineia.
Segundo Vera, o “Primavera” tem a colaboração da arquiteta Janice Breve, de Ourinhos. “Ela doa seu tempo e conhecimento para projetar os locais das novas bibliotecas”, contou. No Cras, houve a transformação de um depósito que era pouco utilizado.
A coordenadora do “Cras Betinha”, Antiella Carrijo Ramos, informou que a nova biblioteca será útil para os trabalhos desenvolvidos pela instituição, que utilizam a leitura como principal ferramenta. “Vamos planejar uma maneira da biblioteca não ficar exclusiva para os usuários do Cras, mas que seja usada por toda a comunidade”, anunciou.
A secretária de Assistência Social, Eliane Botelho, ressaltou que a nova biblioteca mostrou que, através da união, é possível modificar toda uma comunidade. “É extraordinário ver as famílias orgulhosas”, disse. Eliane contou que também pediu à Vera Quagliato a ampliação, através do “Primavera”, da biblioteca do Cras da Estação.
O empresário Wellington Rehder, da Editora Viena, já é um dos tradicionais parceiros de Vera na implantação de bibliotecas. Na sexta-feira, ele acompanhou mais uma inauguração e citou a “concorrência desleal” das mídias digitais. “Mas a pessoa que se encanta pelo livro, não o substitui por nenhuma outra mídia digital”, disse, contando que a filha, de oito anos, sempre cobra um livro de presente do pai.

  • Publicado na edição impressa de 28/07/2019

    Veja mais fotos da inauguração:

    Marly Quagliato é tirada para jogar capoeira pelo instrutor Lucas Trindade Santana

    Flávia Manfrin, Antiella Carrijo, Vera Quagliato, Marci Brondi e Elaine Botelho
    Público lotou as dependências do “Cras Betinha” e evento foi acompanhado por pessoas da comunidade
    Alunos da Acogelc surpreenderam com apresentações acrobáticas
    Rosa Quagliato, do “Acorda Santa Cruz”, e o fotógrafo Bruno Henrique Oliveira
    Líderes da comunidade, que integraram o projeto “Fala Vila”, acompanharam a solenidade
    Líderes da comunidade, que integraram o projeto “Fala Vila”, acompanharam a solenidade
    Coube a Flávia Manfrin anunciar que a biblioteca receberia o nome da professora Marci Brondi Andrade (à direita)
    CONQUISTA – Marci, Antiella, Vera e Flávia
    Marci se emocionou com a homenagem
    Rosa e Vera Quagliato: felizes com mais uma biblioteca implantada
    Vera Quagliato e crianças da comunidade na nova biblioteca
    Momento do descerramento da placa da nova biblioteca com o nome da professora Marci

 

 

 

 

 

Expira em: 31/08/2019

Anterior
Proximo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*